Peça levada por peritos pode apontar causa de incêndio em hospital Cidades R7 Folha Vitória
Peça levada por peritos pode apontar causa de incêndio em hospital Cidades R7 Folha Vitória

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil Folha Vitória

O Folha Vitória

O Folha Vitória

Os peritos do Instituto de Criminalística Carlos Eboli e voltou na terça-feira (17) em um Hospital Badim, e tirou um pedaço do gerador, será importante para a conclusão do relatório”, que irá revelar a causa do incêndio no prédio de um hospital, realizada na quinta-feira (12). O equipamento é instalado no subsolo do hospital, onde teria iniciado o incêndio, e onde eles estão instalados quatro tanques, com uma capacidade de 250 litros de gasóleo a cada outro. O hospital informou que quatro depósitos tinha uma capacidade máxima de armazenamento do óleo.

A Polícia sabe que o hospital tem usado o gerador, mesmo sem a falta de energia na região, entre eles, como uma forma de economizar dinheiro na conta de energia elétrica, devido ao uso de um gerador alimentado por combustível diesel é muito mais rentável. Os peritos vão analisar se o uso do dispositivo com a freqüência mais alta que pode ser determinado a ser um curto-circuito, o que resultou em incêndio no prédio, e com o lançamento de os rolos de fumo, que havia se espalhado através de todos os andares do prédio, e foram rapidamente no Centro da unidade de terapia Intensiva (UTI), onde eles foram em pacientes mais velhos.

Com mais duas mortes

Nas primeiras horas da manhã de terça-feira, o Golden Martins de Oliveira, 87 anos, vítima de um incêndio no Hospital Badim, ele morreu no Hospital Samaritano, em Botafogo. Mais tarde, no Hospital Israelita Albert Sabin, no bairro de brasil, morreu como uma mulher de 98 anos de idade, ainda não foi identificado, também é uma vítima do incêndio. Até agora, foram 14 mortes confirmadas.

A direção do Hospital Badim informou que sete pacientes que foram hospitalizados foram descarregados a partir de hoje. Um total de 43 pacientes permanecem em unidades básicas de saúde no Rio de Janeiro.

De acordo com a assessoria do hospital, “a maioria das pessoas são admitidos no hospital para a continuação do tratamento das patologias que levaram à sua admissão no Hospital Badim, e não por causa da inalação de fumaça”.

Facebook Comments

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here


quatro × 4 =